quarta-feira, 14 de janeiro de 2009

NL ENTREVISTA: ELISA FENNER SCHRODER

ELISA FENNER SCHRODER
Em julho do ano passado, ao sair do Brasil, Elisa não tinha idéia do que encontraria na Alemanha. Estava muito ansiosa, mas sabia que era aquilo que queria.
Ir para a terra de Lutero, para a jovem roquegonzalense, nascida na localidade de Dona Helena, era uma realidade desconhecida.
As surpresas, no entanto, foram boas, embora todas as diferenças existentes entre sua pátria e a do Líder da Reforma Protestante.
Entre os dias 13 e 14, conversamos por MSN, com a futura pastora ELISA FENNER SCHRODER, 22 anos, que nos contou um pouco de sua vida na Alemanha, sua rotina de estudos e como é viver num país de primeiro mundo.
Elisa cursa, no Brasil, a Faculdade de Teologia, na Escola Superior de Teologia, em São Leopoldo, cujos estudos falta um ano para concluir. Nesse meio tempo, surgiu a possibilidade de fazer um intercâmbio na Alemanha, oportunidade que Elisa não deixou passar em branco.
Ficará por lá, até julho próximo, quando retorna para a conclusão do curso.
Seu primeiro ponto de chegada na Alemanha foi a “antiga e bonita”cidade de Göttingen, onde fez curso de alemão e, depois de seis semanas, partiu para München (Munique), capital da Baviera, com seus mais de 1,2 milhões de habitantes.



A LMU é uma das mais antigas universidades da Europa.

Em München, Elisa estuda na Ludwig Maximilians Universitat (LMU), uma das mais antigas universidades européias e seu dia é justamente dedicado aos estudos religiosos em quase todas as manhãs. Duas vezes por semana aprofunda seus conhecimentos em aulas de alemão.
A principal dificuldade encontrada por Elisa foi com relação à língua alemã e por não ter um paciencioso acompanhamento de alguém.
“As pessoas não tem muita paciência para te ouvir e você não consegue se expressar direito. As pessoas não são tão abertas, como no Brasil e nem todas gostam de estrangeiros”, diz.
Em Göttinger encontrou um colega brasileiro que o acompanhou nos seus primeiros momentos por lá, mas em München, tão tinha ninguém.
Hoje, já mais adaptada, Elisa não encontra tantas dificuldades quanto as encontrou há 6 meses.
Elisa mora em uma casa juntamente com outros 51 estudantes, a maioria estrangeira. Fora ela, há apenas outra brasileira.
Depois de formada, Elisa pretende seguir as atividades de pastora da Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil, mas não descarta a possibilidade de seguir os estudos na Alemanha, já que foram de lá que vieram para o Brasil os primeiros pastores.
O incentivo para seguir a carreira evangelizadora partiu da sua mãe Nelci e, prontamente, aderiu à idéia.
Os pais de Elisa, Nelson e Nelci, ainda residem na Dona Helena, onde trabalham na agricultura.
Recentemente, Elisa fez um passeio pela Alemanha e Itália e registrou alguns pontos interessantes que transpomos aqui:

Em Regensburg, o interior da Alte Kapelle, maravilhosa, segundo a sua descrição. Na Alemanha as igrejas centrais são chamadas de DOM. O nome, que em alemão tem o significado de Catedral, tem origem no latin Deo Optimo Maximo, ou seja, Para Deus, que é o melhor, o maior.


Aqui, em Roma, o Coliseu (Colosseum), uma das construções mais antigas feitas pelo homem. Localizado no centro de Roma, também é conhecido por Anfiteatro Flaviano, já foi utilizado como templo cristão.
Elisa no Arco de Constantino, também em Roma e próximo ao Coliseu. O arco foi construído por Constantino Magno, Imperador Romano (o primeiro imperador cristão) para comemorar a vitória sobre Maxêncio, também Imperador Romano, na Batalha de Ponte Mílvio. A causa da batalha era a disputa os dois imperadores sobre o controle da metade ocidental do império.

NOTAS LEAIS TAMBÉM É CULTURA!




3 comentários:

Francieli disse...

..Muito Interessante a entrevista realizada com a Elisa. Com certeza quando ela voltar terá muitas coisas para contar, deve ser uma experiência maravilhosa..Sucesso pra ti Elisa!

Acho bem interessante realizar essas entrevistas com as pessoas de Roque que estão em outros lugares, em outras regiões...estudando, realizando seus sonhos, conhecendo novas culturas.

Abraço Pra Elisa e abraço e sucesso pra você Renê.

Francieli Justen

Renê Leal disse...

Obrigado fran, por nos acompanhar.
Teremos muitas entrevistas pela frente. Não somente com pessoas que estão fora de Roque, mas também as que aqui permanecem e que tem algo a colaborar.

Varilane disse...

Elisa és uma guerreira,muita luz no teu caminhar. Não esqueça nunca tuas origens. Sucesso sempre.Vari