quinta-feira, 26 de fevereiro de 2009

MST: 25 Anos de INvasões e Mortes

Não é de hoje que o Movimento dos “trabalhadores” Sem-Terra (MST) cometem algumas atrocidades, principalmente nos Estados do Paraná e nordestinos.
Os mais recentes episódios causaram a morte de quatro pessoas – seguranças de uma propriedade privada – em Pernambuco, neste último sábado, 21.
De acordo com a polícia, o conflito teria começado depois que os sem-terra foram expulsos da fazenda por ordem judicial. Dos cinco suspeitos do crime, dois foram presos no local e outros três estão foragidos. A direção do MST alega que os assassinatos ocorreram em legítima defesa.
Ontem, duas dezenas de integrantes do movimento invadiram duas propriedades no norte do Paraná. Há uma semana os sem-terra já estavam “de olho” na fazenda e permaneciam perto dela, acampados, aguardando pelo melhor momento de invadi-la.
As duas áreas estavam sendo negociadas pelo INCRA com o objetivo de comprá-las para futuros assentamentos. Porém o MST resolveu não esperar o final das negociações e invadiu.
Armas disfarçadas de ferramentas de trabalho são munições do movimento.

O radicalismo por vezes assassino do MST encontrou uma voz de resistência, ontem, 25, por parte do Ministro do Supremo Tribunal de Justiça, Gilmar Mendes.
Para ele o fato de o Governo Federal financiar ações do MST é ilegal e ilegítimo. Não se pode, disse, dar dinheiro para movimentos que desrespeitam a lei e cometem crimes.

Se o próprio presidente Lula usa a marca do MST, o que esperar se não a continuidade do radicalismo.

Um comentário:

Danieli disse...

Acho que não devemos generalizar as coisas, assim como tem muitas pessoas "mal intencionadas" no MST, também tem outras que procuram apenas uma vida digna, e temos exemplos disso no nosso estado. Mil vezes uma família que entre no MST e consiga, de forma pacífica, um pedaço de terra para plantar e sobreviver do que mendigos na rua.